arremeter

ouço gritos
sussurros
permissividades
quando
me
deito

poemas
concretos
líquidos
perfeitos

alguém canta
do lado
de lá

às vezes
não sei
onde
estou
não sei
se
dormi
não sei
se
morri

sei
que
a parte
tenra
de estar
vivo
é poder
me ausentar
de tudo
que já
vivi

domingo “no park”

o domingo começa
assim como
o mundo
tem que acabar

o refluxo varonil
tem a acidez
nivelada
pela pizza
gelada

provoco uma briga
em um fórum
acerca
de sons de pássaros
notívagos

revejo
o árbitro de vídeo
dos meus erros
e dos meus ódios

não sai gol
nos meus jogos
apáticos
de palavras

não há mensagens
no meu celular
e analiso
se isso
é bom
ou
desesperador

está sol
e
está
frio

tem morte
e entretenimento
na televisão

e eu penso
de alguma forma
quando foi
que perdi
a vontade
de te
participar
do meu
fim

diálogos lacanianos

Ela: O que você pensa de mim?
Ele: Xi! Tá buscando aprovação?
Ela: Você acha que eu sou uma pessoa boa?
Ele: Não. Ninguém é.
Ela: Você acha que eu sou uma pessoa ruim?
Ele: Certamente. Todos são.
Ela: E você? É uma pessoa ruim?
Ele: Segundo alguns, o pior. Provavelmente também para você daqui algum tempo.
Ela: E tem algo de errado comigo?
Ele: Você se apaixona por quem se comporta como sua mãe com você.
Ela: Como assim?
Ele: Amor condicionado. Atenção, agressão e indiferença.
Ela: E você?
Ele: Eu me apaixono por você.
Ela: Por algum motivo especial?
Ele: Porque eu respondo as perguntas que você gosta de indagar.
Ela: E quanto tempo isso irá durar?
Ele: Até quando eu te der atenção, agressão e indiferença.
Ela: Então você está no controle?
Ele: Enquanto outro não te der algo mais intenso e abusivo.
Ela: Você é um abusador?
Ele: Todos somos. A natureza das relações é o gozo egoísta. Não existe altruísmo nesta história.
Ela: E o meu prazer é o abuso?
Ele: Liga não. O meu também é.
Ela: Eu abuso de você?
Ele: Sim. Por exemplo, eu detesto responder estas perguntas, mas eu me sujeito a isso porque é a maneira de te manter por perto.
Ela: E se eu parar de te indagar?
Ele: Você vai procurar outra pessoa pra fazer isso.
Ela: E se você parar de responder?
Ele: Eu já faço isso. A minha atenção só tem valor pra você se eu intercalo com momentos de agressão e indiferença.
Ela: Você faz isso por querer?
Ele: Assim como você, eu só quero gozar.