na clínica (flores do mal)

o médico cocainômanocom sua barbaexacerbadagritandoCANALHA o guitarristaque se apaixonoupor alice in chainse tentou se matarcomendopilhaspalito o esquizofrênicoamante de ervaque sabe de cabeçatodas as linhasde ônibusdo Rioe roubasabonetespara comerescondido o famosoatorespaçosoe desequilibradocom seus dilemasde autoimagem o cara que trazdrogasbemescondidonas partesíntimase teofereceno quarto(as drogas e as partes íntimas!) a pequenameninailudidapor um grandeamorplatônicoe porgiletessocráticas e euum poucode todosenadadeninguémvendoContinuar lendo “na clínica (flores do mal)”

Modernidade – Desafio Literário

não sei quais frequênciasperpassam meu corpoquando escrevosobre a reuniãodas nossasdigitais se perco maiscabelostanto faza cabeça se percoo tempoa horao instanteque debutao avatardistanteque agorarepresentatoda suaexistência se rebeldeminha línguaimpedeminhaeuforiao poderde deletartudo que sinto e volto àspalavras erradasàs entradasnão requisitadas e no silênciofinjo queaindapossoouvirvocêchegarcom algumapropostaindecenteque me tiredo tédiode ter sempreo que fazer Desafio proposto por Cristileine Leão doContinuar lendo “Modernidade – Desafio Literário”

rega e poda

eu regouma planta de ódiotodos os diaspara lembrardo motivoda descoloraçãodas minhascicatrizes dizemque é precisodois anosaté passarum diasem pensarem fumar maseu tenho dificuldadeem passaruma horasem pensarem você o que me aproximanão é o amoré a minha plantade ódioque não voumais regar vou deixarà luznecromantedo solpara secare morrer