desserviço da contrasabedoria

Ele era o Senhor das Moscas.

Falava com pompa empunhando sua dose de Velho Barreiro a qual bebericava tranquilo, empoderado pelo verdadeiro e perigoso cinismo, além do cansaço latente em seu ânimo. Seus discursos de bar eram sempre recheados de uma prosa lógica que poderia parecer inane, no entanto eu ouvia com atenção, especialmente pelas máximas que ele sintetizava e repetia sempre em um esforço didático de corromper a alma de quem ouvia.

Há alguns anos ele lançou seu carro em um rio dirigindo embriagado. Ficaram as frases, as quais eu busco relembrar em um desserviço da contrasabedoria:

“As pessoas têm ambição de controle e entendem que conhecem a maldade humana. Mas ninguém é capaz de imaginar o fosso desse terror. Somos imagem e semelhança do que não vemos a face.”

“A bondade humana é apenas moeda de troca. Ou parte do sistema de recompensas religioso estabelecido no inconsciente coletivo. Ou parte do sistema de recompensas da autoimagem do ego.”

“Tenho pena daqueles que usam substâncias para tentar abrir portas de percepção e, de algum modo, satisfazer a necessidade de conhecimento/cultura/expansão. Querem ficar mais inteligentes, mas não percebem que estão ficando cada vez mais burros. Eu bebo para ficar burro! Quando Jim Morrison percebeu isso sua vida acabou.”

“Sedução é saber criar expectativa no outro ou descobrir aquilo que a pessoa anseia e, a partir disso, propor indiretamente a solução. Flerte é somente a dissimulação do desejo que vem depois. Apenas aja como se tivesse a resposta e se negue a entregá-la que você terá uma pessoa nas mãos.”

“Relacionamento é calcular o tempo todo o custo-benefício de lidar menos com próprio delírio em prol do delírio alheio.”

“Ame as pessoas, mas não fique muito perto.”

“A piada da vida é a seguinte: você não pode ter tudo, mas sua predisposição é querer. Ou seja, não há salvação para a vontade e a insatisfação inerentes. Até quando você tenta se elevar a não querer mais nada, acaba por desejar morte e cai na mesma arapuca de sempre.”

“Sua personalidade nada mais é que a soma dos seus preconceitos adquiridos e por mais que você ache que fez alguma coisa, você não é especial. Seja pó!”

“Somos viciados em tudo que é violento: a loucura, o inimigo, a adversidade e, principalmente, o amor. A paz é um suplício entediante que não suportamos.”

“A depressão é um estado genuíno e verdadeiro. A sua essência está lá, por mais aterrorizante que isso possa parecer.”

30 moedas de prata

reflito
melancolicamente
sob o efeito
da cafeína
e dos inibidores
seletivos
da recaptação
da serotonina

não há
justiça
nas relações
diplomáticas
e bélicas
entre
nós

ora treinava
contra mim
uma futura
adversária

ora era eu
covarde
no complexo
de pária

eu e você
nunca
mais
nos veremos

somos
rima forçada
padrão caótico
da mais bruta
mútua traição

somos
o enforcado
a culpa
o diabo

o que está
finalizado
irreformável
doente
e
eterno

autópsia

eu que já fiz
do teu
pedido
um
arbítrio
da tua
sobra
um
abrigo
do teu
desejo
um
conflito
e da tua
lembrança
minha
distância
estudo
contemplativo
o arco incompleto
dos inúmeros
personagens
que habitam
dentro
de
mim