equação de drake

está vazio aqui
desde sempre
e este eco
não se
locupleta

se a companhia
do superego
crítico e sofrido
de Natália
me bastasse

se o olhar
reservado
da safra
mais graciosa
de Lily
me contivesse

se os desejos
impulsivos
e vívidos
de Bianca
fossem suficientes

mas continua
o breu
indigno
desta caverna
do eu
em constante
solilóquio

e persiste
o veneno
insaciável
da busca
dos poemas
tediosos
que não se furtam
a falar
de amor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s