em cima do piano

eu durmo
com a guarda alta
e o maxilar
teso
e a dúvida
de ser
mais
do
mesmo

todos os dias
abro
contagem
de pontos
para
não virar
presunto

se minha
ânsia
te adula
leia
minha
bula
e evite
tomar
sua dose
homeopática
da minha
presença
patética

eu já
não faço
mais
questão
ter
importância
sou a mão
que o caixão
balança
algo perdido
na mentira
da
infância

Um comentário em “em cima do piano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s